Ir direto para menu de acessibilidade.

languages

GTranslate

ptenfres

Opções de acessibilidade

Página inicial » Coordenadoria de Capacitação de Servidores
Início do conteúdo da página

Coordenadoria de Capacitação de Servidores

A Coordenadoria de Capacitação de Servidores é dirigida por um Coordenador, diretamente subordinado ao Diretor de Capacitação, e possui as seguintes competências:

I – Gerenciamento dos Programas Institucionais:

Minter e Dinter – São projetos de Programas de Pós-Graduação stricto sensu entre duas Instituições de Ensino Superior (promotora e receptora). A instituição promotora é responsável por garantir o nível de qualidade das atividades de ensino, pesquisa e de qualificação profissional desenvolvidas por seu Programa de Pós-Graduação na instituição receptora. O objetivo é viabilizar a formação de mestres e doutores do quadro permanente de docentes de instituições distantes dos grandes centros de ensino e pesquisa, de modo a diminuir as assimetrias existentes entre as diversas regiões do país.

PADT – Programa de Apoio à Qualificação de Servidores Docentes e Técnico-Administrativos:     Objetiva promover a formação de pessoal da UFPA em cursos de pós-graduação stricto sensu e, assim, qualificar as atividades fim e as atividades meio na instituição, bem como contribuir para o crescimento profissional de seus servidores. O PADT compreende tanto ações dirigidas a Programas de Pós-Graduação da UFPA que oferecem vagas especiais para docentes e técnicos da instituição, quanto ações voltadas aos próprios servidores que realizam os cursos de pós-graduação na UFPA.

Edital 02/2019 - PADT

II – Registro de Relatórios Anuais de Atividades de Afastamento para Capacitação de Servidor Docente;

III – Reconhecimento de Diplomas:

    1. Aplicável somente aos casos em que a UFPA mantiver curso de pós-graduação stricto sensu credenciado na área de conhecimento e em nível equivalente ou superior ao dos títulos estrangeiros, de acordo com a Lei n. 9394/96, art. 48, §3º, e com as resoluções CNE/CES no. 1, de 03/04/2001 e CNE/CES no. 2, de 10/06/2005, para efeito de serem declarados equivalentes aos por ela conferidos;
    2. Diplomas ou certificados de cursos não presenciais (a distância), não serão analisados por não haver regulamentação definida;
    3. Encaminhe a solicitação de reconhecimento de título à PROPESP, através da Plataforma Carolina Bori.

IV – Documentos importantes:

    1. Resolução n° 5.114/2018: Estabelece diretrizes para o reconhecimento, pela Universidade Federal do Pará, de diplomas de cursos de pós-graduação expedidos por instituições estrangeiras.

V – Coletar e transmitir informações sobre sua área de atuação aos órgãos competentes e à comunidade acadêmica;

VI Exercer outras atividades compatíveis com suas atribuições.

 

RECONHECIMENTO DE DIPLOMAS / CERTIFICADO OBTIDO NO EXTERIOR

 

A partir da Resolução N. 5.114, de 27 de novembro de 2018, a Universidade Federal do Pará (UFPA) reconhecerá diplomas de Pós-Graduação stricto sensu (mestrado e doutorado), expedidos por Instituições Estrangeiras de Educação Superior e Pesquisa, legalmente constituídas para esse fim em seus países de origem, respeitando-se os acordos internacionais de reciprocidade ou equiparação.

Os processos de reconhecimento devem ser fundamentados em análise relativa ao mérito e às condições acadêmicas do programa efetivamente, Resolução n. 5.114/2018, cursado pelo (a) interessado(a). Os referidos processos serão instaurados mediante solicitação à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP), a qualquer data, via Plataforma Carolina Bori, instruídos com os seguintes documentos: 

I – Documento oficial de identidade;

II – Cadastro contendo os dados pessoais e, quando for o caso, informações acerca de vinculação institucional que mantenha no Brasil;

III – cópia do diploma devidamente registrado pela instituição responsável pela diplomação, de acordo com a legislação vigente no país de origem, apostilado pela autoridade estrangeira competente (para diplomas oriundos de países signatários da Convenção de Haia) ou autenticado por autoridade consular competente (no caso de país não signatário);

IV – Exemplar da tese ou dissertação com registro de aprovação da banca examinadora, autenticada pela instituição de origem e por autoridade consular competente (quando for o caso), com cópia em arquivo digital em formato compatível, acompanhada dos seguintes documentos: a) ata ou documento oficial da instituição de origem, contendo a data da defesa, o título do trabalho, a sua aprovação e conceitos outorgados; b) nomes dos participantes da banca examinadora e do orientador acompanhados dos respectivos currículos resumidos, com indicação de site na internet contendo os currículos completos (quando houver);

V – Cópia do histórico escolar (documento contendo os componentes curriculares e aproveitamento destes, registrado pela Instituição estrangeira) com visto da autoridade consular brasileira do país onde foi expedido, considerando a seguinte situação: 3 Resolução n. 5.114 CONSEPE, de 27.11.2018 a) quando a modalidade do curso não contiver disciplinas a serem cursadas, o requerente deverá juntar documento oficial da instituição de ensino, informando tal condição;

VI – Descrição resumida das atividades de pesquisa realizadas e cópia impressa dos trabalhos científicos decorrentes da dissertação ou tese, publicados e/ou apresentados em congressos ou reuniões acadêmico-científicas, indicando a autoria, o nome do periódico e a data da publicação;

 VII – Resultados da avaliação externa do curso ou programa de pós-graduação da instituição, quando houver e tiver sido realizada por instituições públicas ou devidamente acreditadas no país de origem, e outras informações existentes acerca da reputação do programa indicadas em documentos, relatórios ou reportagens;

VIII – Termo de outorga de bolsa concedida por Agência Governamental Brasileira para realização dos estudos do diploma a que pretende reconhecer (quando for o caso);

IX – Procuração com firma reconhecida ou passada em cartório, quando o requerimento for formulado por procurador;

 X – Comprovante de recolhimento da taxa referente ao pedido no valor de R$ 3.477,36 (50% a ser juntado, após análise documental que deverá ser realizada no prazo de trinta dias, e 50% antes do apostilamento do Diploma, ao final do processo);  

XI – Requerimento informando qual Programa de Pós-Graduação deverá realizar a análise do mérito acadêmico dos estudos realizados;

XII – A UFPA pode, a qualquer tempo, solicitar novos documentos ou substituição de versões digitalizadas ilegíveis.

O trâmite dos processos de reconhecimento de diplomas seguirá o fluxo estabelecido pela Plataforma Carolina Bori, tal como indicado no site:

http://carolinabori.mec.gov.br/img/tramiteNormal.jpg

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página